domingo, 22 de setembro de 2013

[as melhores do serviço de urgência] preceitos de bem-nascer!


Hoje aprendi mais um preceito indispensável para se nascer bem, assunto que como sabeis me é particularmente caro, pois se até já vos tentei ensinar a ajudar a dar à luz numa bomba de gasolina em 20 passos extremamente didáticos (próximos episódios com serviço público: como convencer um homem a arrumar a casa - este é em 40 passos, mas chegamos lá, nem que seja em 50 mais um - e como fazer um lactente arrotar sem acordar - este em 20 passos embora, confesse, alguns passos possam ser mais didáticos que outros).

Ora pois, mas eu ia contar-vos que hoje aprendi mais qualquer coisa sobre isto de bem-nascer. E nisto de bem-nascer, meus amigos, é sempre bom estar informado. Penso que já toda a gente ouviu aquela ideia meio absurda de que é preciso ter muito cuidado quando o bebé tem o cordão à volta do pescoço, mas até percebo a fantasia arrepiante que uma mãe pode ter (sobretudo naquela altura em que praticamente não tem sangue no cérebro), que é a de que o seu bebé se arrisca à forca no próprio cordão umbilical no momento de nascer.

Mas hoje no Serviço de Urgência tive uma revelação extraordinária: no boletim de saúde de um recém-nascido constava que ele tinha nascido por cesariana eletiva. Podia ser essa a chave para o problema do menino. E vai daí perguntei à mãe:
- O seu bebé nasceu de cesariana porquê?
- Olhe, doutora, porque eu tinha muito líquido amniótico e explicaram-me que o bebé se podia afogar quando nascesse.

Ah, pois, é verdade, que cabeça a minha, os bebés de hoje não sabem nadar como antigamente. E depois admiram-se que as taxas de cesariana continuem a crescer.

5 comentários:

  1. o medo... o medo leva-nos a acreditar nas nossas próprias mentiras :S [espaço bonito este! obrigada:)]

    ResponderEliminar
  2. Já agora explica porque é absurda a ideia do cordão à volta do pescoço =)

    ResponderEliminar
  3. ! ... mas tb há uma prática de 'esperas' demasiado longas para parto natural que pôem em risco a saúde, e até a vida, do bébé (recentemente duas amigas minhas sofreram negligência no parto e viram os seus recém-nascidos nos cuidados intensivos; num dos casos a 'espera' ultrapassou 32h depois de rompido o saco amniótico!)

    ResponderEliminar
  4. O bebé não sabe nadar yo!! Ninguém lhe cantou?

    ResponderEliminar